Cigarro e Impotência Sexual: Dicas Para Tratar

  • September 23, 2020

Quem é que nunca viu a advertência que fica atrás do cigarro que avisa que o cigarro pode causar impotência, não é mesmo?! Pois acontece que esse aviso não é apenas para intimidar quem fuma, mas sim uma realidade, sendo apenas um entre os muitos males do tabagismo.

Isso porque ele afeta a saúde como um todo, causando infarto, derrames, enfisema, câncer e muito mais. Continuando essa lista, ele causa efeitos também na saúde reprodutiva masculina, causando dificuldade de ereção e diminuição da fertilidade.

Além das dicas abaixo, saiba que o gocce casanova funziona perfeitamente para tratar os problemas de impotência sexual.

Por que cigarro causa impotência?

Ao passo que nos homens o cigarro pode levar a impotência, nas mulheres ele pode acabar aumentando a dificuldade de sentir prazer.

Estudos mostram que quem é fumante há mais de 10 anos, apresenta o dobro de chance de sofrer com a impotência se comparado com pessoas não-fumantes.

Nos homens sedentários e com mais de 50 anos de idade, então, as chances aumentam mais ainda, pois somente a idade, por si só, já é um fator de risco a ser considerado.

Isso tudo porque o cigarro tem uma serie de componentes de ação vasoconstritora, que levam a diminuição do fluxo sanguíneo para o corpo, incluindo na região genital.

Isso sem falar que também e cheio de toxinas nocivas para a saúde como um todo, podendo impactar no desempenho do organismo.

A ereção é um fenômeno vascular, ou seja, ela necessita de fluxo sanguíneo para que aconteça.

Impotência sexual e tabagismo

A ereção depende de diversos órgãos para que aconteça de forma plena, como cérebro, circulação sanguínea, hormônios, nervos e o tecido erétil. É um sistema único e complexo!

Acontece que o tabagismo afeta todos os órgãos de forma negativa, incluindo aqueles que estão envolvidos na ereção.

As suas substâncias enfraquecem o coração, causam danos aos neurônios, endurecem as paredes dos vasos, modificam os tecidos eréteis e ainda desregulam a produção hormonal.

Mais do que isso, a ciência sugere que, como ocorre com outros fatores de risco, cada homem irá apresentar uma sensibilidade única ao agente agressor, com maior ou menor predisposição aos problemas.

Então, somando os fatores agressores com a presença de uma predisposição genética, é que temos a chave para o problema.

O mais importante de tudo é procurar ajuda e contar com algum apoio para recuperar a vida sexual de uma forma saudável, afinal, ter prazer também é muito importante e necessário.