Confira resposta do vereador Aurélio Miguel para matéría publicada dia 02 de fevereiro no Estadão.

Nota Oficial

O vereador Aurélio Miguel nega ter recebido qualquer vantagem de Ronilson Bezerra Rodrigues e lamenta que denúncias sem provas, ditas de “ouvi dizer” por um criminoso confesso como Eduardo Barcellos ganhe ares de verdade. A notícia, requentada e trazida como novidade, não é diferente daquela que foi divulgada nos mesmos moldes com estardalhaço e, nunca provada, em anos anteriores. A única novidade trazida seria a existência de um aparelho de som na sala onde Ronilson teria sido recebido por Aurélio Miguel. Ronilson Rodrigues nunca esteve na casa do parlamentar.

Para se ter ideia do tamanho do “falso escândalo”, o último depoimento de Barcellos foi colhido em setembro de 2015 e ignorado pela mídia, na ocasião. O assunto vem à tona agora às vésperas do início do ano legislativo. Falando à Justiça, Ronilson Rodrigues desmentiu Barcellos, negando ter dado dinheiro a Aurélio Miguel 

Aurélio Miguel representou Eduardo Barcellos na justiça por meio de um pedido de explicações sobre suas declarações onde Barcellos reafirmou não conhecer Aurélio Miguel pessoalmente e não possuir qualquer prova daquilo que teria “ouvido dizer” (clique aqui para ver o Termo de Declarações). Desde 2013, Barcellos vem mudando sua versão. Primeiro, afirmando que vantagens foram solicitadas para que se encerrasse a CPI do IPTU; depois para não abrir a CPI do ISS e agora esta nova versão. È importante salientar que em 2010, após pedir providências ao Executivo quanto à suspeitas relacionadas às Secretarias de Habitação e Finanças, Aurélio Miguel protocolou no Ministério Público uma ação de improbidade administrativa contra o ex-p refeito Gilberto Kassab pela não apuração dos indícios apresentados no relatório final a CPI do IPTU, ainda em 2009.

Links Importantes:

Pedido de Explicações – Eduardo Barcellos

Entrevista concedida à Rádio Bandeirantes

Relatório final da CPI do IPTU